Rádio Plenitude

Salvador WEATHER

NOTÍCIAS | COVID-19

Vacinas de mRNA tem proteção mais longa contra Covid-19, diz pesquisa

Os pesquisadores compilaram os dados de 10 estudos que avaliaram a resposta induzida pelos imunizantes

vacinas-de-mRNA

As Vacinas de mRNA anticovid com tecnologia de mRNA, como as da Pfizer e da Moderna, são as que protegem por mais tempo contra a covid-19. A informação consta em estudo realizado pelas universidades Yale e da Carolina do Norte, dos EUA.

A pesquisa foi publicada na revista científica PNAS. Eis a íntegra.

Os pesquisadores compilaram os dados de 10 estudos que avaliaram a resposta induzida pelas vacinas de mRNA da Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Janssen –além da imunidade causada pela exposição ao vírus.

Depois, analisaram as trajetórias típicas de declínio da imunidade e as probabilidades de infecção depois da vacinação.

“Os níveis máximos de anticorpos induzidos pelas vacinas de RNA mensageiro (mRNA) (…) excederam os [provenientes] da infecção natural e espera-se que produzam uma proteção mais durável” contra a doença, lê-se no estudo.

Segundo os pesquisadores, a media do tempo para infecção depois da imunização com vacinas de mRNA da Pfizer e Moderna é de 29,6 meses. No caso do imunizante da AstraZeneca, a mediana é 22,4 meses. Com a vacina da Janssen, de 20,5 meses. Nas infecções naturais, 21,5 meses.

Dose de reforço

Os cientistas disseram que esses dados, são importantes para determinar o período para aplicação de doses de reforço. O ideal, conforme o estudo, é que uma nova dose seja aplicada antes que haja 5% de probabilidade de infecção futura por causa do declínio da imunidade.

Conforme as projeções, quem recebeu doses da Pfizer e Moderna deve receber uma nova aplicação em 1 ano. Os vacinados com doses da AstraZeneca, em 5 meses. Com a Janssen, em 4,5 meses.

Fonte: Poder360